Blog

Relato da Cine UM, uma das organizadoras do PAN:

“FAREWELL, MY LOVELY”

Encerrou no domingo (14/04) mais uma edição do PORTO ALEGRE NOIR.
No final de 2017 iniciamos uma aventura com um rumo definido. Mas o voo era cego. Sabíamos aonde chegar, desconhecíamos, porém, como seria a viagem. Em abril de 2018 aconteceu a primeira edição do PAN (como gostamos carinhosamente de chamar). Iniciamos numa sexta feira 13. Premonição? Mau agouro? Ou apenas uma curiosidade do calendário? Tanto faz. Não importava. Encerrado aquele evento duas certezas ficaram muito evidentes. Primeiro: Chegamos ao nosso destino e a viagem foi emocionante. Segundo: Repetir a dose era uma imposição.

Se a primeira edição de um evento é sempre uma aventura, o certo é que a segunda edição é a mais estratégica. É aquela que define uma continuidade. Estabelece um padrão. Demonstra sua vocação. E sinaliza o futuro.

Assim pensamos, planejamos e executamos o PAN II. Reforçamos convicções, adequamos formatos e ousamos sobre novos territórios. O PAN já é um evento da cidade (e do Brasil), dos fãs do gênero, dos escritores já atuantes, dos novos e dos futuros. Tudo e todos movidos por uma só razão: paixão
.
A Cine UM tem um motivo extra para comemorar este ano. Por outra coincidência de calendário, o PAN II estreou exatamente no dia em que comemoramos nossos 10 anos. Não haveria presente melhor para desejar.

Uma saudação aos nossos parceiros de projeto. O incansável mentor do PAN, Cesar Alcázar, e Cristiane Marçal, da Fio Produtora Cultural. E também a equipe da criação e comunicação, Bethânia Helder e Fernanda Calegaro.

Um agradecimento muito especial à Cinemateca Capitolio. Aos nossos inestimáveis patrocinadores: a Aberst (na figura da Cláudia Lemes), a L&PM Editores e a Versátil Home Video. E também aos apoiadores Eko Residence HotelLiteratura Policialtytius camisetas alternativasProsa FilmesAVEC Editora, e os expositores Libretos Editora, Dublinense, Zouk e o livro “Detektis”.
E não esquecemos, claro, nosso agradecimento ao público que compareceu e prestigiou o PAN.

Até a próxima.
2020 está logo ali.

Anúncios

Programação intensa hoje!

SÁBADO – 13/04:

14h00 – Workshop “Assassinato Aconchegante: O Universo dos Cozy Mysteries”, com Matheus Ferraz (sala multimídia) / Abertura das portas, início da Feira do Livro ABERST (hall)

15h00 – Bate-papo “Dashiell Hammett e os 90 anos de Safra Vermelha” (sala de cinema)

Júlio Ricardo da Rosa

Juremir Machado da Silva

16h15 – Bate-papo “À Sangue Frio – o crime verdadeiro e a literatura” (sala de cinema)

Rafael Guimaraens

Sandra Abrano

Luiz Gonzaga Lopes

17h30 – Bate-papo “Quando o Horror e a Literatura Policial se encontram” (sala de cinema)

Duda Falcão

Paula Febbe Nova

Marciele Goetzke

19h00 – Sessão de Cinema: ATÉ A VISTA, QUERIDA (“Murder, my Sweet”, 1944, 95 min.) Entrada R$ 10,00

Sessão Comentada por Jéssica Bernardi

Murdermy

Hoje é dia de Perigosamente Harlem

Hoje é dia de Projeto Raros Especial: Perigosamente Harlem (Bill Duke, 1991) no Porto Alegre Noir II:

PERIGOSAMENTE HARLEM (A Rage in Harlem, 1991, 115 min.) ENTRADA FRANCA.

De Bill Duke. Com Forest Whitaker, Robin Givens e Gregory Hines.

O Porto Alegre Noir II, no dia 12 de Abril, terá uma edição especial do Projeto Raros, sessão tradicional na cena porto-alegrense criada por Carlos Thomaz Albornoz. Iniciado em maio de 2003, o projeto foi concebido com a intenção de apresentar ao público local títulos nunca lançados no circuito exibidor brasileiro, ou há muito tempo fora de circulação nos cinemas.

O filme exibido será “Perigosamente Harlem” (A Rage in Harlem – 1991), uma bela produção dos anos 90 que, apesar da qualidade, hoje é pouco lembrada. Adaptação do romance “A Maldição do Dinheiro” (For Love of Imabelle), de Chester Himes, “Perigosamente Harlem” narra a história de um jovem ingênuo e religioso (vivido pelo sempre excelente Forest Whitaker), do bairro negro de Nova York, que se envolve com diversos criminosos na buscas por um carregamento de ouro roubado.

“Perigosamente Harlem” nunca foi lançado em DVD no Brasil.

A sessão terá comentários do escritor e jornalista Gustavo Machado.

Terceiro dia de PAN

Ontem saímos no Jornal Metro. E hoje tem:

QUINTA – 11/04

20h00 – CIDADE TENEBROSA (Crime Wave, 1954, 74 min.)
Entrada R$ 10,00

De André De Toth. Com Sterling Hayden, Gene Nelson, Charles Bronson.
Los Angeles. Um ex-detento se vê envolvido numa investigação de assassinato e tem que escolher entre a lei ou seus ex-comparsas. Pérola noir do grande De Toth que serviu de inspiração para “Los Angeles, Cidade Proibida”.

Segue o PAN

Porto Alegre Noir II no Jornal Zero Hora de 09/04.

O evento segue hoje com A Força do Mal!

QUARTA – 10/04

20h00 – A FORÇA DO MAL (Force of Evil, 1948, 78 min.) Entrada R$ 10,00

De Abraham Polonsky. Com John Garfield, Thomas Gomez e Beatrice Pearson.
As trapaças de um inescrupuloso advogado no submundo do jogo. Dirigido magistralmente por Abraham Polonsky, outra vítima da histeria anticomunista, este é um dos mais emblemáticos e geniais filmes noir de todos os tempos.

O PAN começa amanhã!

Porto Alegre Noir II começa amanhã ao som da fúria! Não percam: 20h00 na Cinemateca Capitolio.

JUSTIÇA INJUSTA (The Sound of Fury/Try and Get Me!, 1950, 92 min.)
De Cy Endfield. Com Frank Lovejoy, Kathleen Ryan, Richard Carlson.
Um homem desempregado se envolve com um assassino e ambos realizam um trágico sequestro. Baseado no mesmo evento retratado em “Fúria”, de Fritz Lang, esse é um dos filmes mais chocantes do cinema norte-americano.

Entrada R$ 10,00

Sessão apresentada por Cesar Alcázar.

Try-and-Get-Me-The-Sound-of-Fury-poster